Blog - Mundo dos Óleos - Seja muito bem-vindo ao nosso mundo!

ARTIGO CIENTÍFICO -Determinação do Perfil de Ácidos Graxos do Óleo da Amêndoa do Fruto do Licuri

ARTIGO CIENTÍFICO -Determinação do Perfil de Ácidos Graxos do Óleo da Amêndoa do Fruto do Licuri
O licuri (Syagrus coronata) é uma palmeira nativa do Brasil, largamente disseminada por todo o semi-árido do país. O fruto do licuri, conhecido pela mesma denominação da palmeira, é totalmente comestível. Apesar do grande potencial nutritivo e oleaginoso do licuri, pouca atenção tem sido dada para o estudo detalhado do valor nutritivo deste fruto. Neste trabalho foi determinada a composição de ácidos graxos do óleo da amêndoa do fruto do licuri. Os lipídeos totais foram extraídos pelo método Bligh-Dyer. Os ácidos graxos foram determinados na forma de ésteres metílicos. A análise dos ésteres metílicos foi feita por Cromatografia Gasosa acoplada a Espectrometria de Massas. A quantificação foi feita por normalização, e os ácidos graxos (AG) determinados foram predominantemente saturados.

ARTIGO CIENTÍFICO - Desenvolvimento de Filmes Extrusados com Micropartículas de Óleo Essencial de Orégano e Aplicação na Conservação de Massa Fresca

ARTIGO CIENTÍFICO - Desenvolvimento de Filmes Extrusados com Micropartículas de Óleo Essencial de Orégano e Aplicação na Conservação de Massa Fresca

O impacto ambiental causado pelas embalagens plásticas convencionais tem aumentado o interesse pelo uso de materiais biodegradáveis. Os filmes biodegradáveis podem ser produzidos a partir de biopolímeros, tais como polissacarídeos, proteínas e lipídeos, formando matrizes contínuas que permitem a incorporação de compostos bioativos. A farinha de trigo pode ser uma alternativa para realização de blendas com outros biopolímeros, como o poli (adipato co-tereftalato de butileno) (PBAT), para produção de filmes por extrusão sopro em balão. Alguns aditivos, como óleo essencial de orégano, podem ser adicionados nas embalagens como agente antimicrobiano e antioxidante para a elaboração de embalagens ativas. Porém, durante o processo de extrusão termoplástica, os óleos essenciais podem se volatilizar e até mesmo se degradarem e uma alternativa para preservar a bioatividade dos óleos é realizar a sua microencapsulação. O objetivo deste trabalho foi produzir filmes de farinha de trigo e PBAT adicionados de óleo de orégano livre e microencapsulado por extrusão termoplástica e avaliar a sua aplicabilidade como embalagem ativa na conservação de massa fresca de pastel. As micropartículas de óleo essencial de orégano (OEO) foram produzidas por spray drying e caracterizadas quanto à morfologia, eficiência de encapsulação, diâmetro médio e distribuição de tamanho. Os filmes foram elaborados por extrusão sopro em balão e foram caracterizados em relação às propriedades mecânicas, permeabilidade ao vapor de água (PVA), solubilidade, cor, opacidade, análise termogravimétrica, morfologia e capacidade antioxidante. As partículas obtidas apresentaram diâmetro médio de 8 µm e eficiência de encapsulação de 65,73 %. A incorporação do OEO microencapsulado e livre interferiram significativamente nas características e propriedades do filme. Verificou-se que os filmes com óleo essencial de orégano microencapsulado (FOM) apresentaram menor resistência à tração (T) e Módulo de Young (MY), maior elongação (ε), solubilidade e capacidade antioxidante quando comparado aos demais. Durante 28 dias de armazenamento refrigerado, a massa de pastel embalada com filme FOM foi o que apresentou menor contagem de bolores e leveduras, quando comparado com as massas armazenadas com os outros filmes. Porém, o mesmo efeito não foi verificado para a contagem de microrganismos psicrotróficos. Os resultados obtidos neste trabalho sugerem que a microencapsulação protegeu o OEO, permitindo a obtenção de filmes ativos biodegradáveis para aplicação em alimentos onde a contaminação por fungos e leveduras seja predominante.

 

Fonte:  http://riut.utfpr.edu.br/jspui/handle/1/4857

ARTIGO CIENTÍFICO - Tratamento Alternativo de Queimadura de Terceiro Grau em Cadela Associado a Reconstrução Cirúrgica da Pele – Relato de Caso

ARTIGO CIENTÍFICO - Tratamento Alternativo de Queimadura de Terceiro Grau em Cadela Associado a Reconstrução Cirúrgica da Pele – Relato de Caso
O objetivo é relatar o caso de uma cadela que sofreu queimadura de terceiro grau e foi tratada com protocolo alternativo com óleo de copaíba seguido de reconstrução cirúrgica de pele. Foi atendida em um hospital escola, uma cadela da raça Rottweiler, um ano de idade que caiu em um forno de carvão sofrendo queimadura de terceiro grau comprometendo aproximadamente 65% de superfície corporal. As lesões estendiam-se pela extremidade completa dos membros torácicos abaixo da articulação umerorradiounar, face lateral dos membros pélvicos, região do flanco direito até a oitava costela, região vulvar e perineal, e região torácica esquerda. Realizou-se o desbridamento cirúrgico para retirada de necrose e iniciou-se o tratamento das feridas com solução fisiológica e óleo de copaíba a cada 12 horas durante 82 dias. Neste período foi feito todo o acompanhamento clínico do paciente em ambiente hospitalar. O tratamento conservativo foi eficiente, porém devido a contratura muscular e não fechamento de pele tardio optou-se por procedimento cirúrgico realizando um retalho de padrão axial da epigástrica superficial caudal para fechamento da ferida mais extensa em face lateral de coxa direita, associado ao enxerto de ilhotas de pele na porção distal de membro pélvico direito para cobertura de osso metatarso.O pós-operatório foi acompanhado no hospital e o procedimento teve sucesso para extensão do membro afetado além da promoção de cobertura exposta de pele. Devido a extensão da lesão e o prognóstico ruim para a cicatrização, a técnica r

ARTIGO CIENTÍFICO - Atividade Antimicrobiana do Óleo de Alecrim

Mundo dos Óleos - Artigo Científico
Diversos óleos essenciais são estudados por apresentarem atividade antimicrobiana. O objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade antimicrobiana de óleo essencial de alecrim em relação à inibição de Escherichiacoli (E. coli) em amostras de carne experimentalmente contaminadas. Avaliaram-se os parâmetros físicos e microbiológicos das amostras. Foram utilizados três tratamentos com aplicação bacteriana por pulverização nas amostras de carne, em esquema fatorial 3x3: 0% de aplicação de óleo essencial (Tratamento 1); aplicação de solução de 0,5% do óleo essencial de alecrim (Tratamento 2) aplicação de solução de 1,0% do óleo essencial de alecrim (Tratamento 3). As amostras de carne foram previamente inoculadas com 108 UFC/g de E. coli sendo avaliadas nos tempos 0, 3 e 6 dias de armazenamento. Podese observar que a capacidade de retenção de água, atividade de água e os valores de pH da carne bovina não variaram significativamente (P>0,05) com o uso de óleo essencial de alecrim, apenas com o tempo de armazenamento. Ocorreram menores valores para contagem de coliformes nas amostras quando se adicionou 1,0% de óleo essencial de alecrim nos tempos 3 e 6 dias, entretanto maior esperdas por cocção. A adição de 1,0% de óleo esencial apresentou maiores valores para a variávelcor a*, tornando uma carne mais avermelhada, portanto mais atrativa ao consumidor, podendo ser efetiva na manutenção deste atributo. O óleo essencial de alecrim foi efetivo na manutenção da cor vermelha das amostras de carne. Palavras-chave: coliformes; conservação de alimentos; óleos essenciais. 

ARTIGO CIENTÍFICO - Tratamento de Estrias Vermelhas com o Uso de Óleo de Rosa Mosqueta

Mundo dos Óleos - Artigo Científico
Estrias são degenerações cutâneas, caracterizadas por lesões atróficas, lineares, com coloração variável de acordo com a sua fase evolutiva e consideradas um processo de natureza estética que acomete principalmente mulheres. As tecnólogas em estética dispõem de vários tratamentos de estria, como o óleo de Rosa Mosqueta, que podem proporcionar resultados significativos. O objetivo desse artigo foi identificar a ação do óleo de Rosa Mosqueta quando aplicado no tratamento de estrias vermelhas. Neste estudo de revisão de literatura verificou-se que este óleo atua cicatrização e na reparação tecidual, tem atividade antioxidante e anti-inflamatória. Devido às propriedades químicas e aos mecanismos de ação deste óleo, pode-se notar que o mesmo seria benéfico no tratamento de estrias vermelhas, porém não foram encontrados estudos experimentais com a sua aplicação nas mesmas, sendo estes, necessários para comprovação da sua eficácia. Palavras-chave: Estrias, Rosa Mosqueta, Óleo de Rosa Mosqueta.