Conheça quais são os métodos de extração de óleos essenciais

Óleos Essenciais são substâncias aromáticas presentes nas estruturas de determinadas plantas, chamadas plantas aromáticas. Através de processos extração conseguimos obter estas substâncias, que além do aroma concentrado, possuem também um efeito terapêutico em nosso organismo. Mas você sabe quais são esses tipos de extração? Pensando nisso, o Mundo dos Óleos preparou um post no intuito de explicar quais são e como acontece esses tipos de extração.

Existem seis tipos de extração para a obtenção de dos Óleos Essenciais. Vamos a eles

Destilação a Vapor

Este é o método mais utilizado no mundo inteiro para extração de Óleos Essenciais. Consiste em submeter o material vegetal à ação do vapor d’água extraindo o óleo por meio do “arraste do vapor”.

Funciona dessa maneira: o vapor d’água passa através do tecido da matéria prima vegetal retirando o óleo que está dentro de suas glândulas. Logo que o óleo sai, ele sofre um choque térmico vaporizando o que o faz ser arrastado até atingir o condensador onde esse hidrolato (nome dado a essa água condensada com nutrientes resultante do processo de extração) resfria-se voltando a fase líquida. Por fim, essa mistura sofre o processo de destilação que separa a água do óleo essencial.

É importante lembrar que para se ter uma eficiente e completa extração do Óleo Essencial, é necessário que o material a ser destilado deve sofre um processo de eliminação de resíduos (impurezas na biomassa).

Prensagem a Frio

A Prensagem a Frio é a maneira mais empregada na extração de óleo de frutas cítricas como laranja, limão tangerina etc. No Brasil e na maioria dos outros países, este método é muito empregado em empresas produtoras de suco para extrair seu insumo.

Ele consiste em colocar a matéria prima em uma prensa hidráulica que esmaga até expelir todo o suco e o Óleo essencial delas. O Óleo Essencial então é separado do suco com ajuda de jatos d’água que formam uma emulsão composta por 1% a 3% de Óleo Essencial, fragmentos sólidos e outros detritos, que logo em seguida são separados por um ciclone.

Finalizada esta etapa, o óleo passa por um conjunto de centrífugas para clarificação deixando-o em três fases: Uma fase leve (rica em óleo), uma fase intermediária (rica em água) e uma fase pesada (rica em sólidos insolúveis). Por fim a fase leve (que contém até 80% de óleo) é levada para tanques decantadores para separação final.

 

Hidrodestilação

 

Esse método é muito utilizado em laboratórios. Ele consiste em mergulhar toda a matéria prima vegetal, o que o diferencia da destilação a vapor. A extração, por sua vez, ocorre a uma temperatura inferior a 100ºC, o que, apesar de tornar a destilação mais lenta e com menor rendimento, evita a perda de compostos sensíveis a altas temperaturas. Industrialmente este processo é considerado obsoleto (cunhado até de artesanal) mas ainda é praticado em diversos países em desenvolvimento onde o acesso a caldeiras a vapor é mais difícil.

 

Enfleurage

 

Conhecido com Enfleurage ou enfloração é uma técnica utilizada desde o século XVII para extração de Óleos Essenciais de matérias primas mais delicadas como rosas, jasmins, violetas, flores emblemáticas cultivadas em Grasse cujo os compostos podem sofrer alterações e perder propriedades quando usados outros tipos de extração. Apesar de ser um processo lento, caro e praticamente inutilizado, o enfleurage ainda resiste e é a todo momento reinventado com uso de novas tecnologias.

 

O método clássico, por sua vez, consiste em picotar as pétalas da flor e colocá-las sobre algumas placas de vidro em contato com uma gordura animal ou vegetal inodora que funciona como espécie de esponja. Passadas 24h as pétalas são substituídas repetindo este processo por semanas até que a gordura assuma um aspecto de “pomada” saturada de óleo. Então esta gordura é destilada obtendo-se um concentrado oleoso aromático que, por fim, é misturado com álcool e novamente destilado formando, por sua vez, o Óleo Essencial.

 

Extração por Solventes

 

Algumas plantas e vegetais possuem características que as tornam muito delicadas e sensíveis não podendo ser submetidas a altas temperaturas não podendo, portanto, ser extraídas por destilação a vapor. São os casos das Rosas, Jasmins e Neroli (Flor de Laranjeira) que precisam de métodos de extração menos agressivos para se obter o máximo de suas propriedades. Nestes casos, o uso de solventes como hexano, benzeno, tolueno ou éter de petróleo acabam por ser uma ótima opção, pois preservam as características e qualidades dos vegetais em questão.

 

Quando acontece a extração por meio de solventes originam-se dois produtos: o Concreto e, posteriormente, o Absoluto. O concreto é a primeira etapa resultante da extração por meio de solventes descrita acima, que são apolares. Nessa etapa, além do Óleo Essencial, são obtidas parafinas, ceras gorduras, pigmentos e outros compostos oleosos, razão pela qual o composto possui uma consistência pastosa ou semi-sólida. Já o absoluto é obtido quando o concreto é submetido a outro solvente, agora polar, como o etanol. Nesse caso o solvente purifica a mistura das substâncias citadas levando a um produto final de consistência mais líquida.

 

Atualmente as novas tecnologias conseguem eliminar consideravelmente os solventes do concretos e absolutos, o que tornava o processo antigamente perigoso, deixando praticamente nenhum solvente (traços) deixando-os a níveis seguros para uso.

 

Fluídos Supercríticos

 

Nos últimos anos o método de extração de Óleos Essenciais usando Fluídos Supercríticos vem ganhando muito espaço nos processos industriais. Isso porque ele apresenta uma grande vantagem em relação às outras técnicas uma vez que ele usa uma tecnologia atóxica, limpa e não residual que mantém a integridade quase que total da matéria-prima usada.

 

O processo se baseia na ideia de usar gases que, em determinada temperatura e pressão, ficam em um estágio entre o líquido e o gasoso (tornando-se supercríticos) podendo agir como solventes de matéria-prima. O gás mais utilizado para estes processos é o CO2 supercrítico que, além de ser barato e abundante, apresenta uma densidade relativamente alta (como à de um líquido), baixa viscosidade e alto poder de penetração (característica predominante dos gases) o que lhe confere excelentes qualidades de penetração. Outro destaque fica por conta do fato de que, para obtê-lo, é preciso operar todo o sistema a uma temperatura de 31,04ºC à uma pressão de 73,8 bar. Por causa disso, o método não oferece riscos de reações secundárias como oxidações, reduções, hidrólises e degradações químicas.

 

O método para extração de Óleos Essenciais funciona da seguinte maneira: A biomassa é colocada dentro de um cilindro que possui, nas duas pontas, uma capa de metal poroso que tem a função de permitir a circulação do fluído supercrítico e das substâncias que foram dissolvidas. Com isso, o CO2 passa através da matéria-prima dissolvendo os óleos até um certo nível de solubilidade de equilíbrio. Após esse processo a solução gasosa sai do extrator e passa por uma válvula que reduz a pressão, causando o que chamamos de “precipitação dos componentes” dentro do separador. Nesta etapa o CO2 é separado do óleo e é reciclado dando início a um novo ciclo. São vários ciclos que acontecem, tanto no cilindro quanto no separador, até que todos os componentes sejam extraídos e coletados no separador.
A principal razão (talvez a única) que não faz com que este método seja amplamente utilizado, se dá pelo fato de seus equipamentos de extração serem muito caros. Para se ter uma ideia, uma unidade industrial dessas chega a custar milhões de dólares.

oleo-essencial-mundo-dos-oleos

Nunca consuma ou aplique insumos vegetais ou animais sem orientação e acompanhamento de um profissional qualificado e de sua confiança.

“O Ministério da Saúde adverte: não existem evidências científicas comprovadas de que este produto previna, trate ou cure doenças. ”

Onde encontrar: Você encontra esses e outros Óleos acessando este link: mundodosoleos.com ou indo até a nossa loja localizada no CLSW 504 Bloco “B” loja 46, Sudoeste, Brasília (DF).

Descarte do Óleo

O descarte não adequado dos Óleos pode acarretar entupimento nas tubulações e ainda poluir a água. Por isso, procure locais próprios para o descarte. Armazene em um vidro e dirija-se aos postos de coleta da sua cidade.

Estamos também nas redes sociais. Curta nossa página no Facebook e acompanhe novidades e artigos como esse.


Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados

Related Posts

Jurema-Branca - Um Óleo Essencial de Tradições Brasileiras
Jurema-Branca - Um Óleo Essencial de Tradições Brasileiras
JUREMA-BRANCAUm óleo essencial de tradições brasileiras Com muita honra e felicidade, a Laszlo traz pela primeira vez...
Read More
4 Óleos Essenciais que Reduzem a Retenção de Água e o Inchaço nas Pernas
4 Óleos Essenciais que Reduzem a Retenção de Água e o Inchaço nas Pernas
4 Óleos Essenciais que Reduzem a Retenção de Água e o Inchaço nas PernasVocê sente suas pernas, tornozelos ou pés inc...
Read More
ARTIGO CIENTÍFICO -Determinação do Perfil de Ácidos Graxos do Óleo da Amêndoa do Fruto do Licuri
ARTIGO CIENTÍFICO -Determinação do Perfil de Ácidos Graxos do Óleo da Amêndoa do Fruto do Licuri
TÍTULO: DETERMINAÇÃO DO PERFIL DE ÁCIDOS GRAXOS DO ÓLEO DA AMÊNDOA DO FRUTO DO LICURI (SYAGRUS CORONATA (MARTIUS) BEC...
Read More